Avançar para o conteúdo principal

HENRY MILLER - TRÓPICO DE CÂNCER

HENRY MILLER - TRÓPICO DE CÂNCER
TROPIC OF CANCER


Em 1935, Trópico de Câncer é acolhido com tibieza. Trata-se de um romance autobiográfico passado na Paris dos anos trinta. A cidade está enxameada de personalidades da arte e da literatura vindas de toda  a parte. É a narração da vida do americano Henry, dos amigos e das personagens que encontra, da sua contínua procura de um trabalho e de um quarto para dormir. O protagonista passa os seus dias entre as aulas que consegue arranjar numa escola francesa, a actividade de corrector de provas, as bebedeiras com os amigos e as idas aos bordéis. O livro é reiteradamente acusado de ser um romance "obsceno" devido à linguagem utilizada e às situações descritas. Na verdade, trata-se de uma sequência de aventuras existenciais, amorosas e sexuais que ocorrem nos bairros pobres de Paris. O protagonista enfrenta a fome e resigna-se às dificuldades da existência, mas acredita em si mesmo e no valor da vida. Miller exalta a plenitude da existência do indivíduo e, em última análise, aceita completamente a vida conforme ela acontece. Após todas as situações escabrosas e misérias narradas, o romance termina com uma cena de calma e de paz: Henry observa o Sena a correr tranquilo, interrogando-se se há-de regressar à América, para logo decidir aceitar com serenidade tudo quanto lhe possa oferecer a vida neste país antigo.

público - maio de 2003


      

Comentários

Popular semana

NASSIM NICHOLAS TALEB - O CISNE NEGRO

CHARLES FORT - O LIVRO DOS DANADOS

BRYAN WARD-PERKINS - A QUEDA DE ROMA E O FIM DA CIVILIZAÇÃO

ULRICH BECK - A METAMORFOSE DO MUNDO

CHARLES BUKOWSKI - MULHERES

Popular mês

NASSIM NICHOLAS TALEB - O CISNE NEGRO

BRYAN WARD-PERKINS - A QUEDA DE ROMA E O FIM DA CIVILIZAÇÃO

MATTHEW PEARL - O CLUBE DE DANTE

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA

MO HAYDER - A ILHA DOS PORCOS

SIMONE DE BEAUVOIR - O SANGUE DOS OUTROS

PAUL WATZLAWICK - A REALIDADE É REAL?

GONÇALO M. TAVARES - UMA VIAGEM À ÍNDIA

YUVAL NOAH HARARI - HOMO DEUS

JEAN PAUL SARTRE - COM A MORTE NA ALMA

popular sempre

THOMAS PYNCHON - ARCO-ÍRIS DA GRAVIDADE

A ERA DOS EXTREMOS - ERIC HOBSBAWM

ROBERTO BOLAÑO - 2666

MARGUERITE DURAS - OLHOS AZUIS, CABELO PRETO

THÉOPHILE GAUTIER - O ROMANCE DA MÚMIA

ARUNDHATI ROY - O DEUS DAS PEQUENAS COISAS

DIETRICH SCHWANITZ - CULTURA tudo o que é preciso saber

NICK COHEN - O QUE RESTA DA ESQUERDA?

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA