Avançar para o conteúdo principal

MATTHEW PEARL - O CLUBE DE DANTE

MATTHEW PEARL - O CLUBE DE DANTE


Corria o ano de 1865 em Boston. Os génios literários do Clube de Dante - Henry Wadsworth Longfellow, Dr. Oliver Wendell Holmes e James Russell Lowell, juntamente com o editor J.T. Fields - poetas e professores de Harvard - terminam a primeira tradução americana da Divina Comédia e preparam-se para revelar ao Novo Mundo as notáveis visões de Dante.
Os poderosos de Harvard esforçam-se por manter Dante na obscuridade, já que julgam que a infiltração de superstições estrangeiras, nos espíritos americanos, é tão prejudicial como a chegada dos imigrantes ao porto de Boston.
Os membros do Clube de Dante esforçam-se por manter viva uma sagrada causa literária, mas os seus planos fracassam quando surge uma série de assassínios em Boston e Cambridge. Apenas este pequeno grupo de eruditos se apercebe de que os crimes arrepiantes são baseados nos castigos do Inferno do Inferno de Dante.

O Clube de Dante é uma maravilhosa mistura de factos e ficção, um hino de louvor à atracção que Dante exerce no nosso espírito, magnificamente realizado, e um thriller cativante que surpreende do princípio ao fim.



planeta editora - lisboa, 2004.

Comentários

  1. Já tinha ponderado sobre se devia ou não ler esta obra, principalmente depois de ler Dante. Agora vou certamente ler!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA

"Uma obra marcante, cuja riqueza quantitativa e qualitativa pode ser apenas sugerida em uma resenha. O contexto temporal é extraordinariamente amplo... O valor da obra consiste principalmente no fato de que Hauser, fundamentando em um conhecimento preciso de fontes e literatura especializada, reúne resultados excepcionalmente claros da sociologia da arte, da música e da literatura. Com isso, ao lado de uma riqueza de investigação sociológica não específica, são avaliadas as importantes escolas da sociologia burguesa europeia e americana, de Taine, Max Weber, Dilthey, Troeltseh, Simmel, Sombart, Veblen até Karl Mannheim, Levin Schueking e outros críticos. Hauser, além desses pesquisadores burgueses, examina também Marx, Engels, Mehring, Kautsky, Lenin e Georg Lukács e une as descobertas destes às suas próprias observações, dando mostras, assim, de sua imparcialidade. ... Deve-se desejar que sociólogos, assim como historiadores de todas as tendências, estudem cuidadosamente este livr…

SIMONE DE BEAUVOIR - O SANGUE DOS OUTROS

" Contar as vidas humanas, comparar o peso de uma lágrima com o peso de uma gota de sangue, era uma tarefa impossível, mas ele já não tinha que fazer contas, e toda a moeda era boa, mesmo essa: o sangue dos outros. O preço nunca seria caro de mais."
Com a Segunda Guerra Mundial como pano de fundo, O Sangue dos Outros narra-nos a história de amor entre Hélène e Jean. No entanto, a frase de Dostoievski que inuagura o romance, "Todos somos responsáveis por tudo perante todos", já nos anuncia aquele que será o eixo temático da narração: a responsabilidade do indivíduo na sociedade em que vive, as implicações do compromisso ideológico, o preço a pagar pela liberdade, o papel dos líderes políticos... Todas estas linhas temáticas têm como pano de fundo as questões filosóficas colocadas pelo movimento existencialista, do qual Simone de Beauvoir, com Jean-Paul Sartre e Albert Camus, foi uma das impulsionadoras. Embora este romance, assim como outros da autora, suporte uma carg…

PAUL WATZLAWICK - A REALIDADE É REAL?

HOW REAL IS REAL?

A confusão que existe entre comunicação e realidade é relativamente nova. As diferentes visões do mundo que resultam da comunicação, apenas se tornaram uma área independente de investigação em décadas recentes. Um dos autores que nela tem trabalhado é Paul Watzlawick que neste livro apresenta, numa série de exemplos desconcertantes, algumas das suas descobertas.

relógio d'agua 

Ligações :
https://pt.wikipedia.org/wiki/Paul_Watzlawick
http://www.wanterfall.com/Communication-Watzlawick's-Axioms.htm

Mensagens populares deste blogue

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA

"Uma obra marcante, cuja riqueza quantitativa e qualitativa pode ser apenas sugerida em uma resenha. O contexto temporal é extraordinariamente amplo... O valor da obra consiste principalmente no fato de que Hauser, fundamentando em um conhecimento preciso de fontes e literatura especializada, reúne resultados excepcionalmente claros da sociologia da arte, da música e da literatura. Com isso, ao lado de uma riqueza de investigação sociológica não específica, são avaliadas as importantes escolas da sociologia burguesa europeia e americana, de Taine, Max Weber, Dilthey, Troeltseh, Simmel, Sombart, Veblen até Karl Mannheim, Levin Schueking e outros críticos. Hauser, além desses pesquisadores burgueses, examina também Marx, Engels, Mehring, Kautsky, Lenin e Georg Lukács e une as descobertas destes às suas próprias observações, dando mostras, assim, de sua imparcialidade. ... Deve-se desejar que sociólogos, assim como historiadores de todas as tendências, estudem cuidadosamente este livr…

SIMONE DE BEAUVOIR - O SANGUE DOS OUTROS

" Contar as vidas humanas, comparar o peso de uma lágrima com o peso de uma gota de sangue, era uma tarefa impossível, mas ele já não tinha que fazer contas, e toda a moeda era boa, mesmo essa: o sangue dos outros. O preço nunca seria caro de mais."
Com a Segunda Guerra Mundial como pano de fundo, O Sangue dos Outros narra-nos a história de amor entre Hélène e Jean. No entanto, a frase de Dostoievski que inuagura o romance, "Todos somos responsáveis por tudo perante todos", já nos anuncia aquele que será o eixo temático da narração: a responsabilidade do indivíduo na sociedade em que vive, as implicações do compromisso ideológico, o preço a pagar pela liberdade, o papel dos líderes políticos... Todas estas linhas temáticas têm como pano de fundo as questões filosóficas colocadas pelo movimento existencialista, do qual Simone de Beauvoir, com Jean-Paul Sartre e Albert Camus, foi uma das impulsionadoras. Embora este romance, assim como outros da autora, suporte uma carg…

PAUL WATZLAWICK - A REALIDADE É REAL?

HOW REAL IS REAL?

A confusão que existe entre comunicação e realidade é relativamente nova. As diferentes visões do mundo que resultam da comunicação, apenas se tornaram uma área independente de investigação em décadas recentes. Um dos autores que nela tem trabalhado é Paul Watzlawick que neste livro apresenta, numa série de exemplos desconcertantes, algumas das suas descobertas.

relógio d'agua 

Ligações :
https://pt.wikipedia.org/wiki/Paul_Watzlawick
http://www.wanterfall.com/Communication-Watzlawick's-Axioms.htm

FRANZ KAFKA - CONTOS

FRANZ KAFKA - CONTOS

Prólogo e selecção de Jorge Luis Borges
Contos - O abutre - Um artista da fome - Primeira mágoa - Um cruzamento - O escudo da cidade - Prometeu - Um incidente trivial - Chacais e árabes - Onze filhos - Relação para uma Academia - A construção da muralha da China

Do Prólogo de Jorge Luis Borges
« A elaboração, em Kafka, é menos admirável que a invocação. Homens, há apenas um na sua obra: o homo domesticus - bem judeu e bem alemão -, sequioso de um lugar, mesmo que o mais humilde, numa qualquer Ordem; num universo, num ministério, num asilo de loucos, na prisão. O argumento e o ambiente são o essencial; não as evoluções da fábula nem a penetração psicológica. Daí a primazia dos seus contos sobre os seus romances; daí o direito a afirmar que esta antologia de contos nos dá integralmente a medida de tão singular escritor.»     

relógio d'água editores - dezembro de 2005

ROGER SCRUTON - GUIA DE FILOSOFIA PARA PESSOAS INTELIGENTES

ROGER SCRUTON - GUIA DE FILOSOFIA PARA PESSOAS INTELIGENTES
AN INTELLIGENT PERSONS'S GUIDE TO PHILOSOPHY

Esta é uma visão muito pessoal da filosofia. Nela, o autor centra-se nas ideias e argumentos que mais o atraíram nesta disciplina. E assim procura demonstrar porque é que a filosofia é tão relevante, não só para as grandes questões intelectuais, mas principalmente para a vida quotidiana no mundo moderno.
Apesar de não omitir as ideias de grandes filósofos, particularmente Kant e Wittgenstein, grandes influências no seu pensamento, o autor não fornece um guia clássico dos argumentos deles. O objectivo deste livro é funcionar como um guia para o leitor - inteligente - que esteja preparado para embarcar numa fascinante aventura pelas principais questões filosóficas : a Verdade, o Tempo, Deus ou o Sexo.   


guerra e paz, editores - 2007.

Mais sobre Roger Scruton:

- O que é ser conservador?
https://www.youtube.com/watch?v=JKKihy3q2os

- O pensamento de Roger Scruton, por João Pereira Coutinh…