Avançar para o conteúdo principal

FIÓDOR DOSTOIÉVSKI - HUMILHADOS E OFENDIDOS

Após o prolongado exílio na sibéria, que viria a inspirar Cadernos da Casa Morta, Dostoiévski publicou, em 1861, o romance Humilhados e Ofendidos, onde expõe a desumanidade do seu tempo e do seu país, em que os ricos e poderosos escravizavam e humilhavam os mais pobres. Este romance constituiu o ponte de viragem para as suas grandes obras trágicas, em que a luta entre o Bem e o Mal e o sofrimento dos inocentes serão sempre temas omnipresentes. É narrado por um jovem autor, Vânia, que acaba de publicar o seu primeiro romance - uma alusão quase autobiográfica -, embora continue  a debater-se com grandes dificuldades de vida, e cuja compaixão e curiosidade acabam por fazê-lo envolver-se ainda nos dramas alheios. O livro começa com o relato da patética morte de um velho abandonado, que há-de levar Vânia a conhecer Nelly, uma das mais comoventes personagens inspirada provavelmente em Dickens. Numa linha narrativa simultânea, Vânia descreve o drama de Natacha, sua amiga de infância, que foge com Aliocha, um jovem imaturo e rico. Vânia acaba por desempenhar aqui quase o papel do detective que reúne as peças de um puzzle montado pelo maquiavelismo de um aristocrata sem escrúpulos.

editorial presença - 1ªedição outubro, 2008


Comentários

Popular semana

NASSIM NICHOLAS TALEB - O CISNE NEGRO

CHARLES FORT - O LIVRO DOS DANADOS

BRYAN WARD-PERKINS - A QUEDA DE ROMA E O FIM DA CIVILIZAÇÃO

ULRICH BECK - A METAMORFOSE DO MUNDO

CHARLES BUKOWSKI - MULHERES

Popular mês

NASSIM NICHOLAS TALEB - O CISNE NEGRO

BRYAN WARD-PERKINS - A QUEDA DE ROMA E O FIM DA CIVILIZAÇÃO

MATTHEW PEARL - O CLUBE DE DANTE

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA

MO HAYDER - A ILHA DOS PORCOS

SIMONE DE BEAUVOIR - O SANGUE DOS OUTROS

PAUL WATZLAWICK - A REALIDADE É REAL?

GONÇALO M. TAVARES - UMA VIAGEM À ÍNDIA

YUVAL NOAH HARARI - HOMO DEUS

JEAN PAUL SARTRE - COM A MORTE NA ALMA

popular sempre

THOMAS PYNCHON - ARCO-ÍRIS DA GRAVIDADE

A ERA DOS EXTREMOS - ERIC HOBSBAWM

HENRY MILLER - TRÓPICO DE CÂNCER

ROBERTO BOLAÑO - 2666

MARGUERITE DURAS - OLHOS AZUIS, CABELO PRETO

THÉOPHILE GAUTIER - O ROMANCE DA MÚMIA

ARUNDHATI ROY - O DEUS DAS PEQUENAS COISAS

DIETRICH SCHWANITZ - CULTURA tudo o que é preciso saber

NICK COHEN - O QUE RESTA DA ESQUERDA?

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA