Avançar para o conteúdo principal

ANDRÉ MALRAUX - OS CONQUISTADORES

LES CONQUÉRANTS

1925: a revolução chinesa desenvolve-se. Garine e Borodine, obcecados pela Ásia e pelo seu destino, acabam por pôr em prática uma parte da obra que os antigos imperadores só haviam sonhado. As suas energias defrontam-se, reforçam-se, conseguem enfim galvanizar uma massa amorfa, quebrar o domínio antigo da Europa. Rodeados de espiões, capazes de utilizar simultaneamente o terror e a argúcia, eles modelam, sem piedade e sem escrúpulos, a argila de que se faz a revolução. São os novos conquistadores.



"A greve geral foi decretada em Cantão". Esta frase lacónica, que serve de intróito a Os Conquistadores, revela de imediato o tom essencial da prosa ficcional de Malraux, Este celebrizar-se-á, com efeito, como uma das grandes figuras de um novo tipo de literatura, muito atenta aos dramas e às paixões que dilaceram o mundo contemporâneo. Quando o livro foi publicado em 1928, as pessoas por conseguinte interrogaram-se. Tratar-se-ia de um romance? De uma reportagem? De um documento histórico? Na verdade era tudo isso, ao mesmo tempo, mas era sobretudo um dos livros que, bem cedo, colocaram Malraux entre os maiores escritores da literatura do século XX.



   livros do brasil 1ª edição, novembro de 2003 

Comentários

Popular semana

ALBERTO MORAVIA - OS INDIFERENTES

DIETRICH SCHWANITZ - CULTURA tudo o que é preciso saber

THOMAS PYNCHON - ARCO-ÍRIS DA GRAVIDADE

JUNG CHANG e JON HALLIDAY - MAO A HISTÓRIA DESCONHECIDA

ANGÉLICA VARANDAS - MITOS E LENDAS CELTAS - IRLANDA

Popular mês

ALBERTO MORAVIA - OS INDIFERENTES

SIMONE DE BEAUVOIR - O SANGUE DOS OUTROS

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA

ANGÉLICA VARANDAS - MITOS E LENDAS CELTAS - IRLANDA

PAUL WATZLAWICK - A REALIDADE É REAL?

GIANLUIGI NUZZI - VATICANO S.A.

ALFREDO MELA - A SOCIOLOGIA DAS CIDADES

JUNG CHANG e JON HALLIDAY - MAO A HISTÓRIA DESCONHECIDA

BEN GOLDACRE - CIÊNCIA DA TRETA

ROGER SCRUTON - GUIA DE FILOSOFIA PARA PESSOAS INTELIGENTES

popular sempre

THOMAS PYNCHON - ARCO-ÍRIS DA GRAVIDADE

ARNOLD HAUSER - HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA

A ERA DOS EXTREMOS - ERIC HOBSBAWM

SIMONE DE BEAUVOIR - O SANGUE DOS OUTROS

HENRY MILLER - TRÓPICO DE CÂNCER

MARGUERITE DURAS - OLHOS AZUIS, CABELO PRETO

ROBERTO BOLAÑO - 2666

THÉOPHILE GAUTIER - O ROMANCE DA MÚMIA

ARUNDHATI ROY - O DEUS DAS PEQUENAS COISAS

DIETRICH SCHWANITZ - CULTURA tudo o que é preciso saber